Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Significado do nome KARATE - Mão Nua

Definição Técnica - Arte Marcial / Desporto

Origem - Japão

Origem Técnica - Artes Marciais Chinesas

Fundação Moderna - Inicio do Século XX

Fundador - Ghishin Funakoshi

Lenda - Em estudo... To be completed...

História - Em estudo... To be completed...

 

Principio/Conceito - Concentração, a ponto de que cada golpe seja um golpe mortal

Grandes Mestres e Referências: O KARATE tem aproximadamente 600 estilos, em todos eles existem grandes mestres que são referências: Chuck Norris - Shito Ryu; Lyoto Mashida - Shotokan (UFC); 

Livro referência - Les trois maitres du BUDO (Jonh Stevens)

 

 
 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:49


A magia do CINTURÃO - The BELT magic

por Kombat Lovers, em 25.04.13

O CINTURÃO é a referência para medir o grau de conhecimento técnico e aperfeiçoamento do Artista Marcial ou do Atleta. Mas o CINTURÂO, bem como a cor que ele tem, são em boa verdade uma referência estética, servindo basicamente para ajustar o fato ao corpo desse Artista Marcial ou desse Atleta.

 

O CINTURÃO não é capaz de demonstrar o elevado estado de evolução/elevação mental que deve caraterizar o Artista Marcial ou o Atleta. O CINTURÃO presume determinadas capacidades, mas não é sinónimo de que quem o usa as tenha.

Assim sendo, muitas vezes encontramos Mestres que sucumbindo à fúria mercantilista, deixaram-se corromper e rendendo-se ao dinheiro começam a distribuir graduações a "cão e gato". É uma pena, pois não só destroem a sua própria reputação, mas também a de todos aqueles que empenhadamente fazem um bom trabalho.

 

O Primerio reflexo desse tipo de "Artistas" numa escola ou nas escolas que lhes dão lugar é o aparecimento frequente de lesões. Tal como um cego que não enxerga o caminho, um Artista Marcial mal preparado depara-se frequentemente com precalços que o fazem disistir.

 

Sendo um problema grave, é normalmente um problema que se auto resolve.

"Mais cego é aquele que não quer ver" e aí sim reside o problema dos egos destas pessoas que valorizam mais a estética do que o conteúdo do "Artista". Só a irresponsabilidade e a vaidade desmesurada podem permitir que alguém se sinta confortável a usar uma graduação que não merece.

 

Muitas vezes essa inflação de graduações deriva também da ânsia de prender os alunos que os "Mestres" vêem fugir. E aqui, lamentavelmente há uma exceção ao principio de Peter. Ao invés de sermos promovidos até ao limite da nossa incompetência por vezes consegue-se ser promovido até ao limite do preço que estamos dispostos a pagar. Entramos então nas instáveis águas da "Arte Marcial Mercantil".

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:30


Ficha técnica do WING CHUN Technical Details

por Kombat Lovers, em 22.04.13

Significado do nome WING CHUN - Sempre Primavera / Louvor à Primavera. É também o nome da heroína lendária - Yim Wing Chun - que deu origem ao aparecimento do sistema de luta/combate WING CHUN.

Nota importante: Wing Tsun ou WT como por vezes também é chamado, é uma variante do WING CHUN, desenvolvida por Leung Ting, um discípulo do "Sifu" Ip Man. Após a morte de Ip Man, Leung Ting decidiu criar uma estrutura de ensino menos tradicional, possivelmente numa tentativa de adaptar-se mais ao modelo de ensino Ocidental, para mais facilmente permitir a expansão Mundial do WING CHUN.

Definição Técnica - SISTEMA DE COMBATE a Curta Distância

Origem - China

Origem Técnica - Todas as Artes Marciais Chinesas praticadas pelos monges nos templos Shaolin Siu Lam

Fundação Moderna - 1967 com a abertura da Hong Kong WING CHUN Athletic Association

Fundador - Ip Man também conhecido por Ip Kay Man

Lenda - Cada vez menos aceite, a versão lendária da história do WING CHUN conta que uma monja Ng Mui, estudiosa das Artes Marciais desenvolveu e passou o seu conhecimento das artes marciais a uma discípula chamada Yim Wing Chun, que, por sua vez, o foi repassando a outros praticantes.

Uma outra versão mais recente diz que essa mesma monja Ng Mui, sobrevivente dos massacres Manchus aos templos Budistas Shaolin Siu Lam, não foi a criadora, mas era guardiã dos segredos de um sistema de combate, muito eficaz e fácil de aprender, desenvolvido pelos monges de Shaolin. Mas, mesmo esta versão, continua também dizendo que o testemunho foi passado a Yim Wing Chun.

Continuando, ambas as versões, dizem que Yim Wing Chun foi uma excelente aluna e rapidamente aprendeu o SISTEMA e mais tarde ensinou-o a outros alunos que o repassaram até aos nossos dias. 

Existem pois diversas versões, não fundamentadas ou documentadas, da história do WING CHUN, não havendo consenso sobre qual das versões é mais próxima da verdade.

As diversas versões vão colocando o aparecimento do WING CHUN em diferentes datas, existindo relatos que dizem que terá sido antes do fim do primeiro milénio. Outras versões dizem que terá sido em meados do século XIII, e outras ainda falam em meados do século XIX.

Em praticamente todas as versões existem referências a uma forte ligação dos primeiros praticantes às atividades da Companhia de Opera do Barco Vermelho, indiciando por vezes que essa Companhia promovia algumas atividades ilicitas.

Supostamente terão sido dois mestres dessa Companhia de Ópera, um homem e uma mulher, que terão passado a arte ao primeiro Sifu da linhagem de Ip Man de que há registo confirmado, de seu nome Leung Jang.

História - Assim, pode apenas considerar-se a história recente do WING CHUN, que começa com a linhagem de Sifus de Ip Man, cujo registo mais antigo é o de Leung Jang que aprendeu e ensinava WING CHUN na cidade de Foshan.

Os conhecimentos de WING CHUN de Ip Man foram-lhe ensinados por Shan Wha Shun, que era empregado do pai de Ip Man. Shan Wha Shun, era já idoso e servia-se por isso da ajuda de outro seu discípulo Ng Chung Sok para ensinar Ip Man. Aos  16 anos, logo após a morte de Shan Wha Shun,  Ip Man foi viver e estudar para Hong Kong e ali encontrou outro Sifu, Leung Bik. Estudou com Leung Jang até aos 24 anos, idade com que regressou a Foshan. Em Foshan Ip man começou a trabalhar como Polícia e a ensinar WING CHUN.

Em 1949, aos 56 anos, com a implantação do Comunismo em todo o território Continental Chinês, Ip Man, dicidente do regime Comunista, decidiu refugiar-se em Hong Kong.

Exilado em Hong Kong, sem rendimentos e à beira da pobreza Ip Man, cujos feitos policiais eram conhecidos, por necessidade, decidiu abandonar a tradição de só ensinar a um grupo restrito de alunos escolhidos e em 1950 começou a ensinar WING CHUN cobrando uma mensalidade para sobreviver.

Começou por ensinar nua sala do Sindicato dos trabalhadores da Restauração. Dois anos mais tarde Ip Man decidiu abrir a sua própria escola e alugou um espaço em Yaumatei - Kowloon. Foi dessa escola que, em 1967 veio a nascer a Hong Kong WING CHUN Athletic Association e dali sairam os alunos que depois espalharam o WING CHUN por todo o Mundo.

E assim começa a história recente do WING CHUN com as Escolas de Ip Man (Wing Chun), Leung Ting (Wing Tsun - WT) e Bruce Lee (Jeet Kune Do) a trazerem o WING CHUN, via Hong Kong, para o Ocidente.

Principio/Conceito - Ao invés de apoiar-se em técnicas, o conceito do SISTEMA DE COMBATE WING CHUN baseia-se na utilização de principios que ao serem seguidos permitem ao praticante anular quase instintivamente as ameaças que lhe vão sendo impostas pelo adversário. Partindo do principio de que podemos não ter tempo para pensar antes que o ataque do adversário já nos esteja a atingir, então devemos preparar-nos para ter uma postura que instintivamente nos protege e garante um contra ataque rápido.

É um SISTEMA de combate que não impõe a necessidade do praticante ter capacidades fisicas extraordinárias. Antes pelo contrário, o SISTEMA considera-se mais eficaz por permitir ao praticante adaptar o SISTEMA DE COMBATE à sua própria estrutura e capacidades físicas.

Grandes Mestres e Referências: Keith Kernspecht (GER); Wong shun Leung (CHN); David Peterson ( ); Emin Boztep (TUR);

Livro referência - Complete WING CHUN: The Defenitive Guide to WING CHUN's History an Traditions (Robert Chu; Rene Ritchie; Y. Wu)

 

 

 
 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:24


Ficha técnica do JUDO - JUDO Details

por Kombat Lovers, em 21.04.13

Significado do nome JUDO - Via da suavidade / Caminho da Suavidade

Definição Técnica - Desporto/Arte Marcial

Origem - Japão

Origem Técnica - Jiu Jitsu

Fundação - 1882

Fundador - Jigoro Kano

Lenda - Shirobei-Akyama, um médico/filósofo Japonês e estudioso das Artes Marciais, questionava-se acerca do desenvolvimento das técnicas de luta e estabeleceu uma comparação que ainda hoje é usada como referência para o JUDO. Olhando os Salgueiros, Akayama notou que os galhos, pressionados pelo peso da neve, cediam deixando a neve cair ao invés do que sucedia com outras árvores cujos galhos, rigidos, quebravam sob o efeito do peso. Daí nasceu a ideia de ceder para vencer. Usar toda a força e peso do adversário em nosso beneficio para vencê-lo...

História - Jigora Kano, um professor, trabalhava para o Ministério da Educação Japonês. Praticante de Jiu Jitsu e estudioso das Artes Marciais, decidiu desenvolver uma sistema de ensino que pudesse ser usado nas escolas com o minimo de risco para os alunos/praticantes. Para fazê-lo, eliminou todas as técnicas que potenciavam o risco para a integridade fisica dos praticantes ao ser aplicadas e deixou apenas as que podiam ser executadas sem magoar, permitindo assim aos particantes estudar e aplicar as técnicas livremente e sem riscos. Foram postas de parte todas as técnicas de "Atemi" (impacto) e ficaram apenas as projeções, imobilizações e luxações que podiam ser feitas com absoluto control e segurança.

Atento ao mundo moderno e às mudanças Kano desenvolveu o JUDO tendo sempre em mente transformá-lo em desporto e entrar no movimento Olímpico. Conseguiu!!!

Principio/Conceito - Utilizar a força do adversário em nosso beneficio. Aproveitar as suas fraquezas, os seus momentos de desiquilibrio para nossa vantagem.

Grandes Mestres e Referências: Yamashita (JPN), Koga (JPN), Neil Adams (GBR), Michel Almeida (POR), Geesink (NED), Toti Kashvili (GEO) ... para ser continuado...

Livro referência - Les trois maitres du BUDO (Jonh Stevens)

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:50


kick Power - Top Speed - TAEKWONDO

por Kombat Lovers, em 20.04.13

A exploração do pontapé ao limite e os teste de quebra são elevados à sua expressão máxima no TAEKWONDO.

 

A História recente da WORLD TAEKWONDO FEDERATION:

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:39


Sistema de Combate - WING CHUN - Combat System

por Kombat Lovers, em 16.04.13

WING CHUN, é uma das mais potentes formas de luta Chinesas.

Reza a lenda que uma mulher que aprendera diversas formas de luta refugiou-se num mosteiro e ali desenvolveu esta forma a que os praticantes não gostam de chamar Arte Marcial, nem Luta, mas sim SISTEMA. Um SISTEMA de Combate a Curta Distância.

 

 

 

 

Bruce Lee, teve a origem da sua aprendizagem no WING CHUN, tendo depois derivado e desenvolvido o seu próprio estilo o Jeet kune Do. Alguns experts chegam a dizer que o Jeet Kune Do não é mais do que uma adaptação comercial do WING CHUN. Algo como uma "marca", à qual Bruce Lee juntou o Marketing necessário para ser vendável no Mundo Ocidental. SE assim foi, foi uma estratégia inteligente, de um asiático muito inteligente.

Bruce Lee foi um dos primeiros grandes magos das artes marciais da Era moderna. Na década de sessenta, Bruce Lee previu e antecipou o sucesso que as artes marciais iam ter no Mundo Ocidental e percebeu que era necessário adaptá-las para poderem ser mais facilmente aceites no Ocidente. E criou um sistema com esse objetivo, o Jeet Kune Do.

Pouco depois da morte de Yp Man (mentor da fundação moderna do WING CHUN), um dos seus discípulos preferidos e mais reputados, Leung Ting, criou uma outra variante do WING CHUN, à qual chamou "WING TSUN" e que é hoje em dia talvez a versão mais consagrada do originário WING CHUN. Basicamente Leung Ting simplificou o sistema de ensino e com isso encurtou o tempo de aprendizagem, o que é uma vantagem importante para quem quer ensinar alguma coisa a Ocidentais.

Hoje em dia já se assiste-se a uma tentativa de remodelar e adaptar o SISTEMA WING TSUN, como por exemplo a renovação proposta pelo Sifu Gutiérrez, com o WING REVOLUTION.

 

 

 
Mas a mudança não vem de agora, Keith Kernspecht já propunha a Blitz Defence há 30 anos atrás, ou seja, o SISTEMA WING CHUN está vivo e em estado de constante adaptação à realidade atual.
 

 Argumentos para preferir o WING CHUN

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:03

Qual a diferença entre DESPORTO e ARTE MARCIAL?

 

A ARTE MARCIAL, é intrinsecamente uma forma de luta e de defesa, mas também uma forma de vida.

O ARTISTA MARCIAL estuda a Arte do combate e a luta, mas inspirado num principio de vida que é o de prolongar e preservar por todos os meios o seu bem estar e a sua vida e de outros. É por isso uma maneira de estar, um estilo de vida.

No percurso da sua aprendizagem o ARTISTA MARCIAL, aprende a defender-se, sem pôr em perigo outros. No entanto, aprende a utilização extrema da arte, ou seja, é capaz de utilizar força letal, é capaz de matar.

Quando confrontado com uma ameaça de morte o ARTISTA MARCIAL pode levar essa ameaça ao extremo e, para defender-se, é capaz de matar.

No estudo o ARTISTA MARCIAL tem por obrigação respeitar a integridade fisica do seu parceiro, mas, quando confrontado, em perigo de vida, no limite extremo, o ARTISTA MARCIAL entra em modo de combate e vai proteger-se aniquilando o seu opositor se necessário. E neste caso, não existem regras.

 

 

O ARTISTA MARCIAL, como o próprio nome indica, sendo um Artista, refina a arte do combate, aprimora as suas capacidades técnicas à exaustão e em boa verdade nunca se sempre pronto, a sua luta é constante para atingir a perfeição, que supostamente é inatingivel. É uma procura permanente por um estado de espírito e uma capacidade técnica perfeita que o devem levar, no limite, a essa desejada perfeição.

Está permanentemente a tentar ultrapassar-se, dia após dia, hora após hora, técnica após técnica, em todas as técnicas e no seu estado mental. Procura constantemente, até à exaustão, atingir a perfeição fisica e mental.

Em resumo o ARTISTA MARCIAL procura aperfeiçoar-se tornando-se num ser humano superior, sendo capaz de suportar a dor, o sofrimento, a fadiga, superando-se e sendo-lhes indiferente, sem expressar qualquer sentimento quer de desconforto quer de alegria.

Já o ATLETA, tem uma data limite para ser perfeito, o dia da competição. Por isso treina e cumpre uma séria de regras, em determinadas condições obrigatórias, para no dia da competição ganhar. Não treina para ser perfeito, mas sim para ganhar... e quando ganha ou perde, explora ao máximo o mundo das emoções, explode de alegria, chora de felicidade, por raiva, ou descontentamento. Emociona-se e emociona!!

 

Na ARTE MARCIAL está em causa a beleza do movimento, a capacidade técnica, ao passo que no desporto está em causa principalmente o sucesso, procurando-se a glória da vitória. Entenda-se que no DESPORTO, há regras, mas o fundamental é, ... GANHAR!!!

Temos então que na ARTE MARCIAL será muito mais importante a técnica a agilidade e a satisfação pela capacidade de auto superar-se do Artista, ao passo que no ATLETA estão muito mais em causa as capacidades fisica, tática e estratégica que o conduzem ao sucesso e à medalha.

 

O DESPORTO de combate, ou Luta, se assim lhe quiserem chamar, é um acima de tudo um jogo, que tem um conjunto regras e que pode praticar-se livremente. Está limitado por esse conjunto de regras que são estabelecidas prioritariamente, sobretudo para prevenir ao máximo o aparecimento de lesões nos intervenientes.

Compreende-se então que o DESPORTO de Combate foi desenhado com regras para se fazer competição. Foi desenhado para que os praticantes possam treinar e testar as suas capacidades físicas no limite.

 

Obviamente, a linha que separa o DESPORTO da ARTE MARCIAL é por vezes muito ténue e não se vá pensar que o ATLETA que pratica o Desporto/Luta não possa ser ele também uma arma letal ao utilizar os seus conhecimentos de Luta. Até porque as condições de treino ao nível da alta competição pressupõem uma capacidade física acima do limiar da capacidade humana...

 

Por raras vezes, numa única pessoa, encontramos reunidas, excecionalmente, capacidades técnicas, táticas e estratégicas, bem como as capacidades físicas e acima de tudo humanas que fazem dele um ARTISTA MARCIAL/ATLETA/FILÓSOFO. Essas exceções são ... Os MESTRES. pessoas que são geralmente acarinhadas e seguidas por ordas de amantes do Desporto e das Artes Marciais, pois conseguem tornar-se exemplos e modelos de vida...

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:18


CONTROL - Foco no ponto de ataque - KARATE

por Kombat Lovers, em 14.04.13

Esta Arte Marcial, que é cada vez mais desporto, é acusada por vezes de ter por base posições muito estáticas. Mas está a crescer em número de atletas, o que significa que mantém interesse ativo para os praticantes.

O facto de a competição estar em desenvolvimento acelerado, veio trazer uma grande dinâmica à modalidade.

Um poderoso poder de foco e control na ação caraterizam o KARATE, que aumenta incrivelmente a capacidade de concentração dos seus praticantes.

Ainda há quem defenda que, na sua essência, o KARATE não poderia fazer competição. Porquê? Porque um dos principios do KARATE é o de que cada golpe é disferido com precisão mortal.

Atente-se!! Um golpe, um morto. Por isso, dizem os céticos, ao transformar o KARATE num desporto, estão a desvirtuá-lo. Para estes, o KARATE, na sua essência deveria então ser, por natureza, uma demonstração pura de foco e de control. Neste ordem de idéias a competição não faz sentido, contudo, o que na realidade sucede é o oposto. Os defensores da competição dizem que, hoje em dia, é vital tornar o KARATE num Desporto e competir. É necessária a competição, numa perspetiva de desenvolver o marketing e a afirmação da modalidade num mundo cada vez mais competitivo.

Se olharmos atentamente e com uma visão abrangente todas as Artes Marciais, este é o sinal dos tempos.

A mudança já aconteceu e todas as Artes Marciais encaram seriamente a sua necessidade de se juntarem ao movimento Olímpico e evoluirem para o conceito "Desporto".

 

 

 
Uma das grandes metas a atingir pelo KARATE moderno é a dificil tarefa de conseguir unificar a visão dos quase 600 (seiscentos) estilos que proliferaram. Muitas vezes os mentores desses estilos teimam em querer impor a sua versão e entendimento aos demais estilos o que gera conflitos. Felizmente e cada vez mais, as Associações e Federações Nacionais e Internacionais estão a conseguir ultrapassar essas diferenças e o KARATE está a ganhar com isso, tendo-se já tornado Desporto Olímpico.
 
 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:13

Aqui temos uma Arte e um Desporto verdadeiramente potente.

 

Uma inovação desta modalidade, trouxe na década de 90, um capacete com máscara total que dá proteção completa à cabeça permitindo a prática de full contact (sem limitações).

Combinando o que de melhor têm o Judo, o Ju Jitsu, o Karate, a Luta Livre, o Muhay Thai e o Boxe, o KUDO permite chegar ao limite máximo da utilização do atemi (golpes de forte impacto - soco/pontapé/joelhada/cotovelada/...). Quando na luta de solo, o KUDO apenas permite a simulação de atemi à cara.

Por outro lado, todas as luxações e os estrangulamentos são permitidos com as regras do Judo.

Está tudo lá!! Agilidade, control, foco, potência no "atemi"!! Desporto de combate total. Sem limites na competição.

Apesar de ter sido desenhado para ser um desporto de combate, o KUDO preserva em si grande parte da essência das Artes Marciais.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

A defesa é o instinto mais profundamente enraizado no subconsciente humano.

Contudo, quando nasce o ser humano traz imunidades, mas não vem preparado para se defender. São os seus progenitores que o defendem. Mas rapidamente qualquer criança aprende a defender-se.

Gritar, fugir, esconder-se, são as primeiras formas de defesas que se aprende. Mais tarde as formas de se defender do ser humano evoluem e aprendem-se técnicas mais elaboradas.

Quanto mais hostil for o meio envolvente, mais defensivo o ser humano fica e mais vai procurar aprender novas formas de se defender.

Até há 100 anos atrás, as ARTES MARCIAIS, as Lutas/Desportos de Combate e as Técnicas de Defesa Pessoal apareciam na vida das pessoas por necessidade da segurança.

Desde então e cada vez mais, muitas pessoas procuram as Lutas, as ARTES MARCIAIS e as técnicas de Defesa também por razões que estão para além do instinto natural de defesa.

Os Artistas Marciais, para além da confiança e auto estima, procuram nestas Artes bem estar, saúde e a perfeição...

Essa perfeição é um estado de espirito, no qual o Artista Marcial sente a superação de todas as barreiras fisicas e mentais pela Arte da Luta e do Combate.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:44


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D