Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O que é o SAL?

Eistem basicamente dois tipos de SAL, o SAL Marinho e o SAL Mineral. Não têm muita diferença um do outro, a não ser no seu método de apanha ou extração. O SAL Marinho obtem-se pela evaporação da água do mar e o SAL Mineral é extraido de minas.

Estes dois tipos de SAL encontrados na natureza, são o maior e melhor concentrado de minerais que o ser humano pode usar na sua alimentação.

 

O que contém o SAL?

Enxofre, Boro, Brómio, Césio, Carbono, Estrôncio, Magnésio, Potássio, Sódio, Alumínio, Arsénico, Bário, Cobalto, Flúor, Fósforo, Ferro, Lítio, Manganês, Mercúrio, Níquel, Nitrogénio, Ouro, Prata, Rádio, Rubídio, Selénio, Silício, Tório, Urânio, Vanádio, Zinco, Iodo, ..., etc, etc.

 

Sabia que:

  1. Proporcionalmente, a quantidade de SAL existente na composição do corpo humano é quase igual à proporção de SAL existente na composição da água do Mar.
  2. O SAL natural contém em si todos os minerais de que o nosso organismo necessita, quase nas mesmas proporções que o soro sanguíneo.
  3.  3,5% da composição dos Mares e Oceanos é SAL.

 

Beneficios do Consumo do SAL Natural (Marinho ou Mineral):

  1. Facilita os processos químicos musculares e como tal melhora o rendimento desportivo para os músculos;
  2. Compensa os prejuízos da má alimentação;
  3. Diminui a acidez gástrica;
  4. Estimula a atividade da circulação sanguínea, respiratória, centros nervosos, dos rins e das vias urinárias;
  5. Estimula a excreção dos ácidos tóxicos(Ácido Láctico e Ácido Úrico);
  6. Em três semanas há uma grande transmineralização e um enriquecimento extraordinário de cálcio, flúor, magnésio, etc;
  7. Por conter Magnésio, previne doenças cardíacas;
  8. Por conter Flúor fortifica os ossos, os dentes, etc;
  9. Tem efeitos bactericidas e antibióticos;
  10. É antialergénico;
  11. Produz um maior equilíbrio electrolítico no corpo Humano;
  12. Regula os excessos de sódio e potássio (baixa a pressão arterial);
  13. Previne constipações;
  14. Estimula o processo de sarar feridas e alivía a psoríase, os processos menstruais e o bócio;
  15. Combate o colesterol, a senilidade (Alzheimer e Parkinson), os cálculos biliares;
  16. Os minerais participam na cura de todas as doenças;

 

De onde veio o SAL que está no Mar?

Ao longo de centenas de milhões de anos, o processo do ciclo da água (chuva-formação dos oceanos-evaporação dos oceanos-chuva), foi lavando os minerais das terras continentais onde chovia e arrastando consigo os minerais que estavam na composição dessas terras. No final do cíclo, ao chegar aos Mares e Oceanos, as particulas desses minerais ali permaneceram em suspensão, tornando os Mares cada vez mais ricos em sais minerais, até chegarmos ao seu estado atual.

 

Qual a Função do SAL no organismo?

O SAL funciona como um estabilizador no nosso organismo, facilitando processos quimicos, ajudando na absorção dos nutrientes e na eliminação dos resíduos e detritos. Dos seus componentes, o Sódio assume grande importância, pois tem uma ação relevante na transmissão dos implusos nervosos que acionam os musculos, inclusive o coração. Por sua vez o Potássio, outro dos sais minerais presentes no SAL assume também grande importância na boa atividade cardíaca.

De uma forma resumida, estas são as funções principais do SAL.

 

 

Então, onde está o problema?

O sal comum que encontramos nas mesas de casa e dos restaurantes é normalmente sal refinado, composto por 99% de Cloreto de sódio. E como o próprio nome indica passou por um processo de refinação ou "purificação". O problema é que esse processo de "purificação" utiliza subtâncias quimicas para branqueá-lo e torná-lo mais solto e facilmente utilizável.

Este sal aparenta bem, mas faz mal. A sua função nutritiva é inversa à que deveria ter e, no longo prazo, vai contribuir para prejudicar gravemente a saúde de quem o consome. Porquê? Porque no processo de refinação e branqueamento, perdem-se muitas das substâncias com valor nutricional que o Sal contém, como por exemplo o Bromio, o Magnésio, o Iodo e o Cálcio, entre outros. Por outro lado, as substâncias nocivas usadas na refinação e branquemento vão permanecer no produto final e entrar nos nossos corpos pela alimentação.

Além disso, o problema reside também no consumo excessivo. O SAL é necessário, quanto mais natural ele for melhor para a saúde de quem o consome, mas tem de ser consumido moderadamente e de acordo com as necessidades de quem consome. Se procurarmos informação sobre a DDR (Dose Diária Recomendada) podemos ver que variam muito as indicações dos diversos organismos que se consultam, mas na generalidade essas informações apontam que 3 a 5 gramas por dia devem satisfazer as necessidades de uma pessoa normal. Mas o consumo é muitas vezes 3 a 4 vezes superior à dose diária recomendada.

Um dos problemas mais comuns causados pelo SAL é a HIPERTENSSÃO. Acontece sobretudo em pessoas mais idosas e obesas, com metabolismos mais lentos e com tendência para reterem o Sódio por mais tempo no organismo, o que provoca a retensão de líquidos e consequentemente a Hipertenssão.

Basicamente podemos concluir que o SAL natural (Marinho e Mineral) alimenta, ao passo que o SAL refinado mata!!!

 

E o SAL "Light"?

Algumas pessoas optam pelo uso de SAL "Light", que tem na sua composição 50% de Cloreto de sódio e 50% de Cloreto de Potássio. Assim, reduz-se em cerca de 50% o consumo de sódio e isso é bom para os Hipertensos e para as pessoas que têm tendência a reter líquidos (o tempo de retensão deste SAL no organismo é menor), mas por outro lado, o maior consumo de Potássio também conduz a alguns problemas.

O SAL "Light" tem um sabor menos intenso, mas deve ser usado nas mesmas quantidades recomendadas para qualquer SAL. Não se deve consumir mais porque é "Light". E tenha-se em particular atenção que o SAL "Light", porque tem Potássio, não é recomendável a pessoas com problemas renais.

 

Então qual é a solução?

Como já referido, a solução reside no consumo equilibrado e sem excessos de SAL, preferencialmente SAL natural (Marinho ou Mineral) e nunca o SAL refinado.

 

E no Caso dos Atletas?

Começamos por explicar que o Sal é um facilitador das reações químicas e trocas que se procesam ao nível celular.

Os processos quimicos no corpo humano visam aumentar e/ou manter as estruturas físicas do nosso organismo, porque elas estão sempre num processo de destruição/renovação.

O Treino é um processo físico desidratante. Nesse processo de desidratação, ao transpirar, a água do suor arrasta consigo os sais minerais que contém e isso causa um estado de cansaço e esgotamento físico e psíquico. Essa fadiga resulta de uma ordem que o cérebro dá ao corpo para repousar e recompor os nutrientes e energia que perdeu no treino.

No caso de atletas, o treino é um processo de destruição da estrutura do corpo, sobretudo ao nível muscular. Assim, o corpo de um atleta tem um processo de regeneração muito mais intenso que o de uma pessoa com uma atividade fisica normal. Ou seja, o atleta tem um metabolismo muito mais acelerado que o de uma pessoa comum. Como tal, as exigências de consumo de SAL de um atleta são necessáriamente superiores às das pessoas comuns, podendo chegar a necessitar de 10 vezes mais SAL que uma pessoa com uma atividade física normal. O SAL Natural (Marinho ou Mineral) repõe rapidamente essas necessidades.

Por tudo isto, o SAL consumido por um atleta, deverá ser definitivamente SAL Natural (Marinho ou Mineral), não manipulado nem aditivado. O SAL Comum contém apenas Sódio e é isso que vai chegar às células fatigadas, deixando uma grande quantidade de necessidades de Minerais por satisfazer.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:20



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D